Programa Antimicrobial Stewardship: Abordagem Efetiva no Combate à Resistência Bacteriana

A literatura científica atual enfatiza a necessidade de reduzir o uso inapropriado de antimicrobianos em todos os ambientes de cuidados de saúde devido à resistência bacteriana. Estima-se que 30% a 50% do uso de antimicrobianos em hospitais seja inadequado. Nesse sentido, o modo como estes fármacos são utilizados hoje tem impacto direto na sua efetividade futura e não apenas para um único paciente, mas sim para outros que necessitarem de tratamento. Embora a resistência microbiana seja um fenômeno natural, sua propagação está diretamente relacionada com o uso inadequado de antimicrobianos.

Atualmente, a resistência bacteriana a ação dos antimicrobianos é uma das maiores preocupações globais em saúde pública, uma vez que em função dela estes medicamentos estão se tornando inefetivos, gerando uma série de consequências como, por exemplo, o prolongamento da doença, o aumento da taxa de mortalidade, o prolongamento do tempo de hospitalização, além de afetar tratamentos preventivos realizados em procedimentos médicos como transplantes, quimioterapia e cirurgias. Na Europa, estima-se que 25 mil pacientes morram por infecção bacteriana multirresistente por ano. Nos Estados Unidos (EUA), mais de 23 mil mortes por ano são causadas por resistência bacteriana.

Nos últimos anos, um crescente número de evidências demonstra que programas hospitalares focados em gerenciar o uso de antimicrobianos, comumente referidos como “Programas de Antimicrobial Stewardship”, são uma abordagem efetiva no combate a resistência bacteriana.

Antimicrobial Stewardship é definido como um programa de práticas coordenadas destinadas a desenvolver e monitorar ações para melhorar a utilização dos antimicrobianos, promovendo a seleção do regime terapêutico ideal, considerando a dosagem, a duração do tratamento e a via de administração. A implantação de Programas de Stewardship contribui para a otimização terapêutica e para o uso apropriado, minimizando reações adversas, e levando a reduções significativas nas taxas de resistência aos antibióticos e nos custos em unidades de saúde. A Figura 01 apresenta de forma esquemática os objetivos destes programas.

Figura 01. Objetivos do “Antimicrobial Stewardship”.

Para a implantação do Programa de Stewardship é fundamental que se disponha de uma equipe multidisciplinar motivada e que esforços institucionais sejam empreendidos para o fomento das melhores práticas assistenciais com foco na segurança do paciente.

Em 2016, o Infectious Diseases Society of America (IDSA) publicou uma Diretriz de Stewardship com 28 recomendações para a implantação e monitoramento de intervenções relacionadas aos antimicrobianos em pacientes hospitalizados. Entre essas recomendações destacamos as práticas de infusão prolongada de beta-lactâmicos, monitoramento terapêutico de vancomicina (vancocinemia) e switch-therapy, que foram temas discutidos no 3º Congresso Brasileiro de Farmacêuticos Clínicos (PCare 2018).

 

MSc. Leandro Cardinal
Coordenador de Farmácia Clínica – Hospital Santa Paula

 

Deixe uma resposta